Skip to content

2004/10/13

A Declarao ao Pas de PSL estava noticiada como sendo tempo de antena do governo, e, pelo que vi na programao dos rgos de comunicao, estava marcada para depois das 21 horas, ou seja, aps os jornais da noite.
Depois seguiu-se o vale-tudo, a autorizao para ser transmitida antes (era uma Declarao ao Pas gravada). A SIC no se fez rogada e abriu o jornal da noite com ela. As outras estaes, ao verem que mais uma vez tinham sido comidas por parvas, emitiram tambm dentro dos jornais a Declarao. E eis como um tempo de antena passa nos telejornais (j agora, sem contraditrio…).

Tirando os aspectos formais (em que um poltico com fama de dominar os media consegue aparecer com um ar constrangido de coitadinho) a Declarao prometeu o po e o mel para todos, contradizendo o que o Ministro das Finanas havia dito uns dias antes. E foi uma forma de o lder informar directamente o povo de algumas linhas do Oramento de Estado para 2005, sem intermedirios e marimbando-se para o rgo a quem ele deve ser presente e o nico que o pode discutir e aprovar, a Assembleia da Repblica. E tambm para o lder atirar pazadas de areia sobre o caso Marcelo e desafiar arrogantemente o PR.
Mas nada disto tem a ver com populismo, claro.

J agora, e sobre o respeito de PSL sobre a liberdade de opinio dos que o criticam, ontem ouvi na TSF o director de um jornal da Figueira da Foz contar como foi processado pelo ento Presidente da Cmara, de como o processo foi arquivado, e de como depois disso a Cmara da Figueira cortou toda a publicidade institucional no jornal e no lhe fornecia informaes sobre as suas actividades, e de como pouco depois surgia uma inesperada oferta de compra da maioria do capital do jornal por um senhor de Lisboa que depois vem a saber tratar-se de Jos Braga Gonalves, da Universidade Moderna, onde por sua vez PSL dava aulas e depois substituiu Paulo Portas como director do Centro de Sondagens, e etc que este pargrafo j vai enorme.
No vi este assunto tratado em mais nenhum stio, mas Pacheco Pereira veio lembrar no Abrupto este artigo do Pblico que vale a pena reler.

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: